Perineo - Envelhecimento e Menopausa
 

Pratique regularmente os exercícios para a musculatura do assoalho pélvico e diminua os efeitos do envelhecimento sobre todo seu aparelho urogenital!


Índice desta página

Como o envelhecimento natural da mulher afeta a MAP?

Praticamente tudo no corpo da mulher depende ou responde a um hormônio chamado estrogênio. A menopausa, acontecimento normal na vida da mulher, acontece por volta dos 50 anos de idade, sendo o período no qual os níveis de estrogênio vão caindo até que este hormônio deixe de vez de ser fabricado.

Além de enfraquecer a mucosa (tecido que recobre internamente as cavidades corporais, como a boca, vagina, etc), tornando-a mais seca, o decréscimo de estrogênio também diminui as dobras de pele da vulva ("emagrecendo" os pequenos lábios) e ainda torna mais fracas as células musculares de todo o corpo, inclusive as da musculatura do assoalho pélvico (MAP), enfraquecendo essa musculatura.

Por estes motivos é comum que na menopausa a mulher enfrente maior número de infecções urinárias (pela ressecamento da mucosa, que funciona como uma "barreira de gel ácido" contra microrganismos). Outro problema comum é o aumento na incidência de problemas relacionados ao enfraquecimento da MAP (como a incontinência urinária de esforço, quando a bexiga deixa de ser suportada corretamente aos esforços como tossir, rir, etc).



É possível minimizar os efeitos do envelhecimento natural sobre a MAP?

O que acontece no envelhecimento é uma aceleração no enfraquecimento da MAP em virtude da diminuição na produção do estrogênio. Mas sabemos que todo músculo do corpo pode ser fortalecido através de exercícios. Portanto se a MAP foi sendo fortalecida durante toda a vida da mulher, e mais ainda durante a menopausa, os efeitos desse enfraquecimento podem ser minimizados.

Realizar exercícios específicos de fortalecimento para a MAP é algo fundamental para que sejam minimizados os efeitos deletérios do envelhecimento, não só sobre a MAP mas sobre todo o aparelho urogenital feminino. Uma MAP forte provém um apoio melhor à bexiga, diminuindo as chances de incontinência urinária, infecções urinárias e prolapsos genitais.

Exercícios para qualquer musculatura tem o poder de melhorar a vascularização local - ou seja, aumentar e melhorar a circulação sanguínea. A melhoria na circulação diminui o ressecamento e enfraquecimento da mucosa, diminui a morte celular e o consequente enfraquecimento da musculatura e pele. Ainda, facilita que as condições necessárias para o orgasmo sejam mantidas ou até melhoradas.

Os exercícios mais importantes para minimizar os efeitos do envelhecimento sobre qualquer musculatura são os de fortalecimento. Para a MAP existe a fisioterapia manual, as contrações simples ou o treino com cones vaginais, dispositivos específicos para este tipo de tratamento.




Como o envelhecimento afeta as funções sexual e urinária no homem?

Da mesma forma que para a mulher, tanto a função urinária quanto a sexual do homem dependem diretamente dos níveis do hormônio sexual, a testosterona. Por este motivo é natural esperar que com a senilidade, particularmente acima dos 60 ano, apareçam dificuldade urinárias ou sexuais por conta do decréscimos hormonais.

No entanto, diferentemente da mulher, não há uma queda abrupta dos hormônios, quase da noite para o dia, como acontece na menopausa. A chamada andropausa acontece de modo mais progressivo e lento, de modo que os sintomas - disfunção erétil e incontinência urinária, no homem mais velho, tendem a ter um início mais lento e progressivo.


Próstata e sua relação com o urinar e o ejacular

O sistema genital masculino possui uma grande glândula chamada próstata, do tamanho de um ameixa, localizada abaixo da bexiga, que serve para produzir um líquido cuja função é dissolver o gel que compõe o sêmen cerca de um minuto apos a ejaculação, para libertar os espermatozoides para sua longa jornada até o óvulo. A uretra, canal por onde sai o sêmen e a urina, passa exatamente no meio da próstata.

Isto significa que qualquer alteração na próstata pode alterar a uretra, ou seja, o trânsito de urina e o de sêmen.


Hiperplasia prostática

Com o envelhecimento é normal que a próstata aumente um pouco de tamanho, mas este aumento varia de pessoa para pessoa: alguns homens apresentam muito, outros bem discreto.

Este aumento de tamanho, ou hiperplasia, acaba diminuindo o canal da uretra na altura da próstata, já que glândula cresce para fora mas também para dentro. Com a hiperplasia da próstata e a compressão da uretra, tanto a ejaculação quanto o urinar estão prejudicados, no que é conhecido como retenção urinária.

Um sintoma bastante importante de que a uretra está sendo comprimida é a necessidade de fazer força para a urina sair. Esta necessidade vai piorando gradualmente com o tempo, até que o jato de urina fique fracionado, ou seja, jatos interrompidos. O tratamento pode ser medicamentoso ou cirúrgico.

Se seu jato urinário está intermitente, ou se você está precisando fazer mais força do que o normal para urinar, procure imediatamente seu médico urologista.


Câncer de próstata

Outra situação que provoca retenção urinária por conta de compressão da próstata sobre a uretra é o câncer da próstata. Doença que mais mata homens em todo o mundo, vale a pena lembrar que todo câncer começa com uma única célula mutante e, portanto, demora anos e anos até que o tumor cresça o suficiente para provocar sintomas como a retenção urinária e destruição de parte do sistema ejaculatório.

Por este motivo a prevenção é tão importante. Se você tem 50 anos ou mais deve consultar anualmente seu médico urologista, e assim pegar o problema no começo, quando a cura é mais simples e sem sequelas. O tratamento, tanto para a hiperplasia avançada quanto para o câncer da próstata é a cirurgia, que tende a destruir tecido ao redor da próstata e causar incontinência urinária e disfunção erétil, ambas de regressão complicada por conta especialmente da perda de tecido nervoso.