Perineo - Disfunção Erétil
 

Você sabia que praticar regularmente os exercícios para a musculatura do assoalho pélvico melhora a circulação peniana, diminuindo os riscos de disfunção erétil e os efeitos do envelhecimento sobre todo seu aparelho urogenital?


Índice desta página

Como acontece a ereção?

Ereção é o enrijecimento do pênis (no homem) ou do clitóris (na mulher). A ereção acontece por um aumento na pressão interna nos chamados "corpos cavernosos", dois grandes tubos escavados como esponjas que formam o corpo do pênis. É um fenômeno normal, que acontece até mesmo com bebês.

Durante a excitação sexual, um sinal vindo do sistema nervoso (cérebro) avisa os corpos cavernosos para "abrirem suas cavernas". Com as cavidades abertas e o aumento do fluxo sanguíneo, essas cavernas se enchem de sangue, fazendo o pênis ou clitóris inflar, como um balão cheio de água.

Ao mesmo tempo em que isto acontece, o fluxo venoso (saída do sangue) é fechado, enquanto o fluxo arterial (entrada de sangue) é aumentando ao seu máximo. Assim temos um balão que enche cada vez mais, sem conseguir esvaziar. O resultado é que a pressão interna vai aumentando cada vez mais.

Este fechamento do leito venoso, ou saída do sangue, é fundamental para a ereção. Do contrário o sangue sairia, e não haveria enrijecimento: como um balão furado, onde o ar entra por um lado e sai pelo outro.



Musculatura do assoalho pélvico (MAP) enrijecendo a ereção

Quem potencializa este trancamento das veias, ou saída do sangue, por fim, é a musculatura do assoalho pélvico (MAP), que são os músculos ao redor da bolsa escrotal e principalmente na base do pênis. Durante a ereção eles aumentam seu tônus, que é um tipo de contração automática.

Quando a MAP aumenta sua contração, ela aperta a base do pênis, trancando mais ainda as veias que precisam estar fechadas para permitir a ereção. Este fechamento aumenta tanto, que o sangue que continua entrando causa o enrijecimento do órgão.

A ereção é um fenômeno vascular, onde a entrada de sangue para o pênis é aumentada e a saída do sangue bloqueada. O sangue vai entrando cada vez mais e não consegue sair, provocando o enrijecimento do órgão.

A ação da MAP sobre a ereção é bastante fácil de entender e de verificar. Toda vez que a MAP contrai ela bloqueia o sangue dentro do pênis. É este bloqueio que causa ou aumenta a ereção. É por este motivo que, toda vez que há uma ereção, mesmo que moderada, e o homem contrai sua MAP (músculos ao redor do ânus e pênis) a ereção aumenta. Quando o homem relaxa sua MAP, a ereção diminui.


O que é disfunção erétil (DE)?

Disfunção erétil (DE) é um problema que acomete mais da 50% dos homens de todas as idades, e pode ser definida como a dificuldade ou incapacidade de alcançar ou manter a ereção de modo suficientemente satisfatório.

Pode ser do tipo parcial, quando há dificuldade para iniciar ou manter a ereção, ou completa, quando fica impossível sequer iniciar o enrijecimento.


Quais são as causas da DE?

Muitas podem ser as causas, por exemplo problemas físicos (corporais) ou psíquicos (emocionais). Dentro os problemas físicos que podem causar a DE estão a esclerose múltipla, doença de Parkinson, tumores, problemas medulares, diabetes, etc. Dentre as causas emocionais têm destaque ansiedade, estresse, conflitos de casal e outros.

A DE também pode estar relacionada ao uso de medicamentos, como anti-depressivos, anti-psicóticos, anti-histamínicos e alguns tipos de anti-hipertensivos.

De um modo geral a DE é causada por problemas neurológicos (relacionados ao cérebro, medula ou inervação), vasculares (relacionados à problemas nas artérias ou veias), endocrinológicos (problemas hormonais), musculares (disfunção da musculatura do assoalho pélvico, MAP, os músculos na base do pênis), emocionais ou um combinação destes fatores.

Diversas causas possíveis exigem uma investigação detalhada, uma vez que cada caso é único. Descobrir aonde está o problema é o primeiro passo para o sucesso no tratamento.


Como descobrir o que está causando minha DE?

Como cada causa tem um tratamento específico, descobrir o que está causando o problema é a parte mais importante de qualquer tentativa de tratamento. Cada pessoa é um universo em particular. Portanto, para saber de onde vem a DE de um homem em particular, é necessário avaliar sua condição vascular, neurológica, emocional, muscular do assoalho pélvico e hormonal. É necessária portanto uma equipe multidisciplinar, contanto com médico neurologista, vascular, fisioterapeuta pélvico, psicólogo, e outros.

Fique atento: sedentarismo, hipertensão e obesidade são causas comuns da disfunção.


Envelhecimento causa DE?

Como boa parte dos homens que sofre com a DE reclama que o problema iniciou com o envelhecimento (acima dos 50 anos), é comum dizer-se que o envelhecimento causa a DE. Mas na verdade o envelhecimento causa, em homens e mulheres, degeneração nervosa, vascular e muscular. Ou seja, no fim o problema não é o envelhecimento em si, mas as degenerações causadas normalmente pelo envelhecimento.

De qualquer forma o importante é descobrir exatamente como anda a função neurológica, vascular, muscular e emocional do indivíduo, independentemente da idade, pois a DE pode acometer qualquer homem com problemas vasculares, sejam estes problemas causados pelo envelhecimento ou por um acidente de trânsito qualquer. Em suma, a DE não tem idade, mas depende de condições de saúde.


Como tratar?

Depois de descobrir exatamente o que está causando o problema é possível iniciar o tratamento. Pelo fato de a contração da MAP aumentar notavelmente a ereção, e de a fisioterapia pélvica ser um tratamento de custo acessível e sem efeitos colaterais, esta deve ser a primeira opção terapêutica para a maioria dos casos.

Mais de 75% dos casos de DE podem ser revertidos por fisioterapia pélvica, especialmente exercícios do assoalho pélvico, auxiliados ou não por biofeedback ou eletroestimulação.

Para os demais casos pode ser tentadas aindamedicações orais, que tem pouca utilidade quando a DE for de outra origem que não a vascular. Outra solução são os dispositivos à vácuo, capazes de facilitar especialmente o início da ereção - para homens com dificuldade de iniciar a ereção, mas facilidade de mantê-la depois.

Terapia comportamental e terapia sexual podem ser indicadas especialmente para casos de origem emocional. Existem ainda as injeções intracavernosas, particularmente para problemas de origem neurológica.

Somente após a falha de todos os outros tipos de tratamento pode ser efetuada a prótese peniana, que é a substituição cirúrgica dos corpos cavernosos por hastes plásticas que podem ser posicionadas com a ajuda das mãos, ou infladas mecanicamente.